Macau na rota das Rotas 

 

1-silk-road.jpg

Macau (ou a RAEM se preferirem), como não poderia deixar de ser, recoloca-se e reposiciona-se na estratégia de Pequim designada por «Uma Faixa, Uma Rota», trazendo como elemento essencial a sua inclusão na grande estratégia económica da Republica Popular da China.

Na reunião do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, realizada em Outubro de 2016, foi preconizada a articulação do funcionamento do Fórum Macau com o desenvolvimento da Iniciativa «Uma faixa, uma Rota», sendo este o percurso que se espera de Macau, no futuro que se avizinha.

A vocação tradicional de Macau como entreposto e a sua afinidade com os países de língua portuguesa, consagrada pela liderança central da República Popular da China ao atribuir ao território a missão de se assumir como plataforma de cooperação entre a China e aqueles países, passa agora também a estar estreitamente ligada ao desenvolvimento da iniciativa «Uma Faixa, uma Rota». Ou seja, os desígnios da portugalidade e da lusofonia são absorvidos por este lema mais abrangente.

Para quem acreditou (situação em que de algum modo também me coloco) que a criação do Fórum Macau para o intercâmbio com os países de língua portuguesa, em 2003, se baseava numa acção de cordialidade e simpatia suportada pelo reconhecimento da herança secular da presença portuguesa, bem se enganou.

A estratégia de Pequim trazia já antecipadamente esta formula que permitiria focalizar a extensão do principio «Uma Faixa, uma Rota» para a ocupação do espaço do Sudeste Asiático, a África subsariana, o Mediterrâneo e a costa ocidental do oceano atlântico.

A iniciativa chinesa “Uma Faixa, uma Rota” proporcionará a Macau muitas novas oportunidades de desenvolvimento e de relacionamento económico e comercial, e reforçará o seu papel como grande Centro Mundial de Turismo e Lazer, disso não temos dúvidas.

A este propósito, espera-se também uma forte diluição do primado da herança secular dos portugueses, passando a dominante económica a sobrepor-se à dominante social e cultural, situação esta já visível na forma como a maioria dos Países de Língua Portuguesa (Portugal incluído) se começam a posicionar no Fórum Macau, dando primazia e cada vez mais importância, aos acordos comerciais e à dinâmica de negócios em prol da preservação das memórias e do legado secular.

São outros os tempos e outros os “ventos”. Pessoalmente também “aplaudo” os benefícios dessa integração na vasta “família” dos que estão na rota da Rota. Já afectiva e emocionalmente não me sinto tão seguro, nem tão pouco extasiado com o compromisso assumido, afinal gostava apenas que Macau continuasse a ser a Macau singular na ordem local de um mundo global.

 

 

Será porventura Macau capaz de resistir à tentação de se tornar em mais um espaço cosmopolita, descaracterizado e uniformizado por uma modernidade que a tornará por certo numa cidade multifacetada e economicamente atraente? Presumo que não.

A contrapartida, porém, será a de que provavelmente deixará de ter algo de peculiar e de singular para oferecer, ou seja, um espaço sem identidade local reforçada, onde a dinâmica do mundo moderno se espalha nos centros de lazer dos casinos e o turismo passa a ser marcado pelas compras alucinantes em centros comerciais iguais em todo o mundo. Só o tempo o dirá. Para já a dinâmica e o percurso que se antevê para aí apontam.

Por enquanto ainda nos vão restando algumas palavras dos poetas, isto a propósito da recente obra de Jorge Arrimar – que por acaso se intitula de «Rotas Circulares» – onde as rotas não são, nem económicas, nem comerciais mas, apenas e só de memórias, saudades e apego à terra que nos fez (faz) ser felizes.

 

———————————

 

Carlos Piteira

Investigador do Instituto do Oriente. Docente do Instituto Superior de Ciências Socias e Politicas / Universidade de Lisboa. Escreve neste espaço uma vez por mês.

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s