Olhar ao Redor

[A grande aflição]

Luís Sequeira

O caos ou a convulsão da ordem natural do cosmos – concretamente do sol, da lua, das estrelas – é a descrição que nos é apresentada no Evangelho do 33.º Domingo do Ano Litúrgico, de 15 de Novembro: ”Naqueles dias, depois de uma grande aflição, o sol escurecerá e a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do céu e as forças que há nos céus serão abaladas”.

As descrições escatólicas, aquelas que se referem ao fim do mundo, como esta que acabamos de mencionar, deixam-nos, certamente, muito inseguros quanto à compreensão do seu significado, sobretudo, se entramos nos pormenores das suas descrições.

No entanto, estou convencido que estes mesmos textos – por mais difíceis que pareçam – podem ter sempre uma leitura e uma aplicação prática nas nossas vidas para além daquilo que, num primeiro momento, seríamos capazes de imaginar. Até que ponto toda essa realidade cósmica e espacial, de proporções incomensuráveis, poderá expressar, simbolicamente, a realidade microcósmica da nossa existência ?

O Senhor Jesus, por exemplo, no Evangelho, fala-nos, primeiramente, de “uma grande aflição”, antes da escuridão e do cataclismo cósmicos. A vida humana, por seu lado, traz-nos também, constante e persistentemente, à nossa consciência essa ‘angústia existêncial’ que reside na profundidade mais recôndita do nosso ser e é capaz de fazer uma pessoa perder todo o sentido do seu viver. Assim sendo, concluímos que tanto a Criação como a Humanidade, homem e mulher, como que vivem, de modo muito semelhante, a aflição e a angústia da sua Existência. Ambos procuram como que uma nova Harmonia e uma nova Perfeição, uma nova Verdade de si mesmos!

Continua o texto, dizendo “que depois de uma grande aflição, o sol escurecerá e a lua não dará a sua claridade, as estrelas cairão do céu e as forças que há nos céus serão abaladas”. Na verdade nós, homens e mulheres, quando em angústia, experimentamos algo muito idêntico. Sim, na dor íntima e profunda, o coração atravessa a terrível ‘noite escura’. Não compreendemos o que está a suceder. Sentimo-nos abatidos. Não temos coragem para fazer nada. Todos aqueles que poderiam ser, naquele momento, “o sol, a lua” deixam de ser, sem contemplação, os luminares do nosso caminho. Todos aqueles que são familiares, amigos e colaboradores, sustentáculos e força das nossas iniciativas, mais não passsam, nesse momento, de companheiros incapazes de qualquer ajuda significativa. Ao procurar perceber esta ‘noite escura’ da alma e do Universo, recordo o Poeta que descreve a mesma realidade com a sua extraordinária intuição poética, “silêncio, escuridão e nada mais”.

Contudo, estas descrições apocalípticas da Sagrada Escritura estão sempre, acreditemos ou não, cheias de profunda esperança, porque Jesus Cristo, ao fim e ao cabo, triunfará. Cristo, o Senhor, virá no meio das grandes aflições e libertar- nos-á: “Então hão-de ver o Filho do homem vir sobre as nuvens, com grande poder e glória”. Noite escura antes que aconteça algo de surpreendente, a Luz de Cristo.

Esta passagem do Evangelho de Mateus abre-nos a porta ainda para um outro assunto que considero de suma importância para quantos procuram a Verdade nas suas vidas, ou a Vontade de Deus na sua vivência de Fé. Refiro-me à prática do Discernimento. Isto é, saber ‘ler os sinais’, tendo em conta as pessoas que aparecem: os acontecimentos que se sucedem ou se desenrolam diante de nós, as circunstâncias em que os factos ganham sentido.

Não ser capaz de estar atento a pessoas, acontecimentos, circunstâncias. Enfim, aos factos, aos “sinais” e ponderá-los no seu íntimo, arrrisca-se a fazer como o insensato que Jesus critica: “Está aqui, está ali.” Cabeça tonta!

Quanto precisa o mundo de hoje de homens e mulheres que sejam luz, que sejam pontos de referência e que sejam possuidores de visão para o bem e progresso da humanidade!

Quanto precisa o mundo de hoje de homens e mulheres com o dom do discernimento e dos ‘olhos penetrantes’ do profeta.

 

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s