Variações

Filinto Elísio* 

1. Ponho-me a escrever sobre Pedro Corsino de Azevedo, cintilante figura da poética cabo-verdiana. Na fímbria de uma claridosidade a ser estudada mais – estudada melhor. O exalar de um evasionismo, dir-se-ia para o existencial, que se versa “cansado pela febre do mais-além” e se alerta, no embalo materno, da terra-longe mas com “gente-gentio come gente”. E o psicadélico quadro, de vinhetas quase pueris, em que o céu se rasga em mil fatias lindas…

2. Falta a alguma gente a humildade que só a grandeza permitiria. Do alto do pedestal, gente que não se enxerga diante do precipício, nem se reporta que as vivas e alvíssaras são engodos da canalha. Gente que, no instante rei, não sabe da nudez que leva e, no instante sacerdote, se acha Deus-todo-o-poderoso. À magna gente, cujas vénias e lisonjeias lhes são devotas, sendo o espelho da solidão a lhes refletir o ego, para não dizer das assaz mesuras e salamaleques do pajem, do bobo, do arlequim, et cetera. Tenta-se, qual Petrónio ao eruptivo Nero, a terapia dos pés no chão, a das vestes franciscanas e sandálias do pescador. Tenta-se, por declamar Luís Vaz de Camões, o apartar da sinecura, porquanto “Inclinai por um pouco a majestade”…

3. Comove-me esta contemplação: a minha vizinha coloca, uma a uma, as peças de roupa no estendal. Não faz propriamente sol, mas ela encara tal rotina como uma espécie de fé. Penso em viva voz: erro meu, este não conseguir encarar o processo histórico a preto e branco, com bons e maus da fita, deste ou doutro lado da barricada. Não há terceira margem, afirmam os mais levantinos no sentido binário e ambivalente do estar na política, rematando poesia al paredón. Entretanto, de repente, desce o nevoeiro sobre a cidade e venham daí vírgulas ao acaso – umas vezes muitas, outras nem tanto…

 

Custos da Democracia
E a conversa (insisto que amiga e amena) continuava a ponto de abordarmos os custos da Democracia. Custos? – perguntava eu, contrapondo aquilo como investimentos, já que o inerente aumento das despesas será compensado com ganhos reputacionais (económicos, inclusive) do País. A Democracia Constitucional, a Boa Governação e a montagem, bem como a funcionalidade, das instituições democráticas, vistas de uma perspetiva dinâmica, mais habilitada e mais complexa, são fatores cruciais do Desenvolvimento. Por conseguinte, impõe-se ampliar (amplificar, se necessário) o nosso sistema democrático, facilitando a abertura (em quantidade e em qualidade) aos partidos políticos (não sendo disparatada de forma alguma a ideia do alargamento do leque e da oferta) e à sociedade civil (sendo procedente o impulso da pólis pelo capital político). Mais liberdades, direitos e garantias. Mais Estado de Direito Democrático. Seja este (com os seus custos e ganhos) o nosso diferencial…

 

Futebol, para além das jogadas

Ora, vamos lá ver: o Brasil é uma constelação, onde brilha Neymar, Portugal tem CR7, o melhor do mundo (e Nany, cabo-verdiano) e Camarões impõe respeito com Samuel Eto’o. São as equipas minhas, na ausência dos Tubarões Azuis (Seleção de Cabo Verde). Todavia, antes mesmo das preferências por esta ou aquela equipa, valerá a pena que haja bom futebol. Quanto mais não seja para sublimarmos esta “malaise” em relação à FIFA e à sua atual administração. Que cintile o futebol (estarei a ser ingénuo?)…e não as outras jogadas.

 

Flashing

1. Olho, com interesse, para uma peça fotográfica da exposição “Genesis”, de Sebastião Salgado.
2. Se me for permitido dizer da minha justiça o próximo Nobel da Literatura iria para a poética de língua portuguesa (Manoel de Barros ou Helberto Hélder).
3. E, já agora, porque não os holofotes do prémio Camões a Corsino Fortes?
4. Gostei do paradiso “Capital Humano”, anti-hollywoodiano como convém e com mise-en-scène felliniano, mas da próxima vez vamos aos olhos azuis da Grace Kelly.
5. Por ora não sei, em Coca-Cola Zero e bolachinhas integrais à mesinha (canapé do caneco), se assisto ao arranque da Copa do Mundo ou leio “Estudos sobre a Arte d’ Os Lusíadas”, de António José Saraiva.

 

*poeta e cronista

 

Advertisements
Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s